Qual É A Diferença Entre A Crise Financeira de 2020 e de 2008?

Crise de 2020 vs. 2008: Descubra quais são as semelhanças e as principais diferenças entre a Crise Econômica e Financeira de 2020 e de 2008
Crise Financeira de 2020 vs. 2008: Qual É A Diferença?

A principal semelhança entre a crise financeira de 2008 e a crise financeira de 2020 é a incerteza e o medo da instabilidade econômica. No entanto, a grande recessão econômica de 2008 teve origem no mercado imobiliário dos Estados Unidos. Por outro lado, a crise mundial de 2020 surgiu de uma crise de saúde, originária da China.

Crise Financeira de 2020 vs. de 2008: Tabela de Comparação

BaseCrise Financeira de 2020Crise Financeira de 2008
OrigemA crise de 2020 se originou como uma crise de saúde em Wuhan, China. A crise financeira global de 2008 eclodiu no mercado imobiliário dos EUA. 
NaturezaÉ cíclica; primeiro surgiu como um choque de oferta e agora se transformou em uma crise de demanda. Estava enraizado no sistema financeiro dos EUA, e depois cobriu o mundo inteiro.
Taxa de Juros do Governo FederalOs federais tinham apenas 160 pontos base.O governo teve uma margem de 500 pontos base.
Papel dos BancosOs bancos obtiveram garantias públicas para conceder empréstimos a empresas/firmas a fim de resolver a crise.As instituições financeiras não tinham fundos suficientes; elas faziam parte da crise.
Flexibilização QuantitativaEm poucas semanas, o dinheiro impresso para pacotes de socorro foi de quase 4 trilhões.O governo dos EUA lançou um resgate de $ 700 bilhões.
RecuperaçãoO FMI espera que o mundo se recupere desta crise até 2021.A crise financeira global ou recessão econômica de 2008 durou 18 meses.

Qual É A Crise Financeira de 2020?

Uma crise financeira ocorre quando os valores dos ativos financeiros sofrem uma queda. Veja desta forma; quando os valores nominais dos ativos financeiros caem rapidamente no mercado econômico, ocorre uma crise financeira. Certos fatores que aumentam o risco de uma crise financeira incluem:

  • Perturbação nos serviços financeiros intermediários
  • Mudanças consideráveis nos volumes de crédito nacional
  • Liquidação financiada pelo governo e recapitalização em grande escala

A crise financeira global que enfrentamos hoje tem suas raízes na pandemia do COVID-19. O surto do vírus obrigou o fechamento de muitas empresas em todo o mundo, paralisando a atividade econômica. 

Tudo começou como uma crise de abastecimento, quando muitas fábricas na China foram fechadas, e agora se transformou em uma crise de demanda devido ao lockdown em muitos países. Crises financeiras prolongadas levam a uma recessão econômica que continua a assombrar a economia mundial por anos, assim como a Grande Recessão de 2008. 

Qual Foi A Crise Econômica de 2008?

Uma queda repentina da economia devido à crise financeira leva a um desempenho ruim no setor econômico. Gradualmente, o PIB começa a cair e os níveis dos preços sobem, a lacuna entre o ciclo de oferta e demanda aumenta e a taxa de desemprego dispara. A liquidez é menor, assim como o investimento e o comércio.

Quer saber por que as crises econômicas ocorrem? Bem, certos fatores contribuem para a destruição econômica, incluindo:

  • Uma queda acentuada no valor das ações devido a eventos inesperados
  • Incompatibilidade no ativo-passivo das instituições financeiras
  • Fraude; manuseio incorreto de fundos em grande escala

A crise econômica de 2008 foi deflagrada devido à desaceleração do mercado imobiliário dos EUA, quando o Lehman Brothers declarou falência. A bolha imobiliária resultou em desconfiança e falta de confiança em todo o sistema financeiro global. Os níveis de dívida insustentáveis, em meio à falta de qualidade de crédito e outros desequilíbrios financeiros, causaram o colapso do sistema financeiro mundial. Ele impactou na vida das pessoas e sacudiu a economia mundial por completo. 

Principais Semelhanças Entre A Crise Financeira de 2020 e a Crise Financeira Global de 2008

Enquanto o país está bloqueado e a economia está em disparada, especialistas financeiros e especialistas em economia estão comparando a atual crise financeira com a crise financeira global que atingiu os EUA e, eventualmente, o mundo inteiro em 2008. Vamos dar uma olhada nas principais semelhanças entre as duas crises. 

Uma Nuvem de Incerteza Está Passando

Ambas as crises surgiram repentinamente e se espalharam por todo o mundo em questão de dias. O fator subjacente comum entre a crise de 2008 e 2020 é a nuvem de incerteza; estes são riscos não quantificáveis. 

Os especialistas não conseguiram identificar a probabilidade da recessão econômica de 2008 e seu impacto no mundo. A bolha imobiliária, os empréstimos concedidos aos cidadãos norte-americanos e os desequilíbrios financeiros levaram ao desastre econômico. 

A mesma é a situação hoje, com uma nuvem de incerteza pesando sobre as economias mundiais. Muitos países ao redor do mundo estão sob lockdown, e os laços financeiros internacionais estão congelando. Os índices do FMI mostram que a incerteza, o pânico ou o medo estão no auge em todo o mundo.

Queda no Índice S&P

Diversas bolsas sofreram queda nas participações de mercado após essas duas crises, devido principalmente à sobreavaliação dos mercados. A relação entre o preço e o lucro com base no Índice S&P ficou acima de 30 em 2008 e 2020; a relação preço/lucro médio é de dezessete desde 1881.

Na primeira semana de abril, o índice caiu para vinte e três, e pode cair ainda mais à medida que os mercados tentam se ajustar primeiro e reagir depois. Embora não tenhamos os números exatos para comparar, mesmo que a bolsa de valores se recupere, a próxima crise financeira é inevitável. 

As Autoridades Públicas Tentam Solucionar

Os efeitos colaterais da Crise Financeira Global não apenas mudaram a economia mundial, mas também originou o G-SIB – Global Systematic Important Banks (Bancos de Importância Sistemática Global). A pandemia global de 2020 também revelou que numerosas economias mundiais dependem de alguns insumos produzidos principalmente em outros países; assim, a crise está colocando em risco a soberania de economias “maduras”. 

Além disso, as autoridades públicas estão apelando por melhores políticas econômicas e regulamentações que forneçam suporte fiscal e monetário. 

Principais Diferenças Entre A Crise Financeira de 2007 2008 e a Crise Financeira de 2020

Agora, vamos mostrar as principais diferenças entre a crise financeira de 2007-2008 e 2020. Ambos Têm Origem Diferente.

O Que Causou A Crise Financeira de 2008? 

A crise de 2008 emergiu da desaceleração do mercado imobiliário dos EUA e da falência do Lehman Brothers. A recessão sistemática atingiu primeiro o sistema financeiro, que cresceu com dívidas insustentáveis concedidas durante a falta de qualidade de crédito. Em 2008-2009, em média, cerca de 750.000 pessoas perderam seus empregos por mês. 

Qual É A Causa da Crise de 2020?

Os desafios financeiros da crise de 2020 são cíclicos, afetando o ciclo de oferta e demanda. Visto que nenhuma atividade econômica importante está ocorrendo no mundo, há incertezas em relação a isso. A crise surgiu primeiro como um choque de oferta na China e depois se espalhou por todo o país, à medida que a China exportava muitos produtos para o mundo todo. Após a eclosão do vírus, a crise de demanda se desenvolveu enquanto o mundo ficava confinado sob o lockdown. O setor de comércio, indústria do turismo e setores financeiros – todos estão experimentando os efeitos. 

Margem Inferior da Taxa de Juros Do Governo Federal

O governo Federal teve uma margem de 500 pontos-base na recessão de 2008 para reduzir as taxas de juros. Os federais usaram a margem para reanimar a economia e reduziram as taxas dos fundos de 5% para quase zero. Caso você não saiba, o governo Federal usa esse método para sustentar a economia. Quanto mais baixa for a taxa, menos caro será pedir dinheiro emprestado. No entanto, neste ano, o governo federal teve apenas 160 pontos-base, e mesmo esse número já é menor atualmente.

O Processo da Crise Econômica de 2020 e de 2008

Atualmente, o bloqueio em diferentes partes do mundo é voluntário, feito para achatar a curva de propagação do vírus. Os governos Europeus estão favorecendo o trabalho de meio período subsidiado em vez da demissão de funcionários, reduzindo o risco de falências e a perda de capital produtivo. 

Em 2008, o foco principal foi reavivar as finanças para evitar a morte econômica repentina. As instituições financeiras não tinham fundos suficientes, e acabaram sendo parte do problema. Os bancos obtiveram garantias públicas para conceder empréstimos a empresas/firmas a fim de resolver a crise. 

A Diferença na Flexibilização Quantitativa

É uma política monetária que envolve a impressão de dinheiro para estimular o ciclo econômico. Os bancos fornecem empréstimos (a partir desse dinheiro impresso) a uma taxa de juros fixa. Em 2008, apenas as empresas e bancos predefinidos foram beneficiados com essa política. George Bush assinou um resgate de $700 bilhões para ajudar a economia a sobreviver. 

O Governo Federal aprovou um programa de flexibilização quantitativa de 60 bilhões no segundo semestre de 2019, antecipando uma crise econômica. Mas o COVID-19 pressionou o governo dos Estados Unidos a injetar mais dinheiro, e o governo anunciou  $700 bilhões inicialmente, incluindo 1,5 trilhão para os bancos. Em poucas semanas, o governo assinou pacotes de ajuda valendo trilhões

Impacto na Indústria do Petróleo

A indústria de petróleo bruto dos EUA está testemunhando uma queda histórica, com preços caindo abaixo de $0. Não há espaço para armazenar barris de petróleo bruto, pois a demanda despencou. Os preços negativos ou mesmo de $20 por barril podem forçar quase 500 empresas de exploração e produção de petróleo a declarar falência até 2021. 

Durante a recessão de 2008, a indústria do petróleo perdia 1 milhão de barris todos os dias. Foi um choque de demanda que gerou estoques. Mas a crise de 2020 é cíclica e está levando o mundo à crise econômica de 2020.

A Crise Econômica Está Chegando? 

De acordo com o modelo econômico da Bloomberg, há 53% de chances de os EUA testemunharem uma recessão nos próximos 12 meses. É o maior risco desde a crise econômica de 2008, que durou 18 meses. Então, quando acontecerá a próxima crise econômica?

Bem, o Goldman Sachs previu um crescimento econômico de 0% no primeiro trimestre e – 5% para o segundo trimestre nos EUA. Isso levará à deflação da dívida, à perda de milhões de empregos e a uma forte contração do comércio internacional. 

De acordo com Kristalina Georgieva, diretora do FMI, as perspectivas de crescimento econômico em meio à pandemia global são negativas. Isso desencadeará uma crise econômica pior do que a recessão global de 2008. O FMI prevê que a taxa do PIB global cairia abaixo de 3% neste ano em relação a 2019. 

Tabela de Comparação

Crise de 2020 vs. 2008: Descubra quais são as semelhanças e as principais diferenças entre a Crise Econômica e Financeira de 2020 e de 2008

Vídeo de Comparação

Diferenças e semelhanças entre a crise atual e a de 2008

Conclusão

Embora existam algumas semelhanças entre a crise financeira de 2008 e 2020, as diferenças são muito maiores. Da origem ao processo, a crise de 2020 parece ser mais destrutiva. Com o fechamento de indústrias em todo o mundo, o ciclo econômico está paralisado. Assim que nos livrarmos do COVID-19, só então saberemos qual foi a real perda econômica para que possamos fazer uma comparação baseada em fatos entre as duas crises. 

Referências

  1. https://www.nber.org/cycles.html
  2. https://twitter.com/EDNewsChina/status/1239412059948765184
  3. https://www.bloomberg.com/news/articles/2020-03-10/chaos-of-2020-can-t-match-2008-but-the-gut-punch-feels-familiar
  4. https://www.reuters.com/article/us-health-coronavirus-imf/imf-sees-pandemic-causing-global-recession-in-2020-recovery-in-2021-idUSKBN21A33O
  5. https://foreignpolicy.com/2020/03/18/coronavirus-economic-crash-2008-financial-crisis-worse/

Imagem Cortesia

  • Foto de Obi Onyeador no Unsplash
  • Foto de Patrick Weissenberger on Unsplash
Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

      Deixe uma Comentário

      Difference 101
      Logo
      Lime vs. Lemon: What’s the difference?